MERCADO DE TRANSFERÊNCIAS EUROPEU: GASTOS NO MERCADO DE INVERNO SUPERARAM 900 MILHÕES DE EUROS

Os gastos dos clubes de futebol no mercado de transferências internacional de inverno superaram os 900 milhões de euros, voltando a aproximar-se de valores anteriores à pandemia de covid-19, segundo um relatório publicado pela FIFA.

Depois de um ano marcado pela contenção, em função da incerteza devido a pandemia e estádios vazios ou restritos, o futebol voltou aos hábitos de ‘gastador’, com um aumento de 74,7% em relação a janeiro de 2021.

O país que gastou mais dinheiro foi a Inglaterra, com 306 milhões de euros aplicados pelos clubes ingleses, bem longe da França, que gastou quase 66 milhões mas foi o segundo país onde mais dinheiro entrou: 86,9 milhões, atrás dos ingleses (95,1).

No terceiro posto da tabela dos que mais ‘faturaram’ está Portugal, com 82,6 milhões de euros angariados, tendo sido o sétimo país que mais exportou jogadores com 96 saídas, longe do líder Brasil (176).

Mais próximos estão o Brasil com 201 contratações, seguido de Portugal, com 194 e por fim a Espanha, que registou 175.

No futebol feminino, nota para o aumento do número de transferências, com 427 mil euros gastos em transações.

Outro relatório da FIFA, datado de 03 de fevereiro, estima em sete mil milhões de euros os custos totais para o futebol europeu da pandemia de covid-19, com particular nota para a redução de 40% nas receitas provenientes de transferências de jogadores.

NÓS VIVEMOS O DESPORTO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.