24 MILHÕES DE METICAIS: É O VALOR QUE A FMF FOI CONDENADA A INDEMNIZAR LUÍS GONÇALVES

Segundo escreve o semanário DESAFIO, a Federação Internacional de Futebol (FIFA) deu provimento ao processo avançado pelo antigo seleccionador nacional de futebol, Luís Gonçalves, e um dos seus assistentes, Tiago Capaz, e condenou a Federação Moçambicana de Futebol (FMF) a pagar uma indemnização de aproximadamente USD 374.000,00 (trezentos e setenta e quatro mil dólares norte-americanos), cerca de 24.000.000,00 MT. (vinte e quatro milhões de meticais).

Em sentença proferida no passado mês de Novembro sobre um processo que os técnicos abriram contra a FMF, em Abril de 2021, no qual alegavam que foram mal demitidos e que, por isso, tinham de ser indemnizados por tudo quanto ainda deviam receber até o final dos respectivos contratos, a 30 de Novembro de 2022, a FIFA julgou procedente a contestação e condenou a entidade dirigida por Feizal Sidat a pagar cerca de 24 milhões de meticais de indemnização.

Escreve o DESAFIO acrescentando que o órgão reitor do futebol nacional intentou, por via da sua equipa jurídica, um acordo com os técnicos para a multa indemnizatória ser paga de forma faseada. Não obstante, a proposta não foi aceite, com o antigo seleccionador nacional, em particular, a manifestar-se irredutível até pela forma nada cordial e deselegante com que foi tratado no processo da sua demissão.

A demissão, lembre-se, foi comunicada ao técnico e aos demais membros da sua equipa pelo presidente da FMF, Feizal Sidat, quando este
ainda se encontrava em estágio com a Selecção Nacional, horas depois do fatídico jogo contra Cabo Verde que, ao ser perdido em pleno Estádio
Nacional do Zimpeto, ditou o afastamento da fase final do CAN-2021, cuja fase final começa a ser disputada no próximo domingo, nos Camarões.

SUSPENSÃO DO PAÍS É CASTIGO POR FALTA DE CUMPRIMENTO DA PENA

A FMF tinha um prazo de 20 dias para recorrer da decisão da FIFA, junto do Tribunal Arbitral de Desporto, cuja sede fica na cidade de Lausane, Suíça, mas não o fez, segundo avança o DESAFIO.

Ora, como a FMF não contestou e tentou um acordo para pagamento faseado das indemnizações com os técnicos que, ao que apurámos, não foi aceite, resta pagar, sob pena de ver o país incorrer em uma série de penalizações, com destaque para a suspensão de participação do futebol em provas internacionais.

Ao organismo reitor do futebol nacional, resta pagar, sob pena de ver o país incorrer em uma série de penalizações, com destaque para a suspensão de participação do futebol em provas internacionais.

NÓS VIVEMOS O DESPORTO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.