PRO-LICENCIAMENTO: FEDERAÇÃO MOÇAMBICANA DE FUTEBOL “RELAXA” REQUISITOS

Na sequência do encontro realizado com as Associações Provinciais no passado dia 15 do corrente mês, a Federação Moçambicana de Futebol (FMF) anunciou esta quarta-feira(24.02), em comunicado de imprensa, o “relaxamento” de alguns requisitos exigidos no PRO-LICENCIAMENTO para os clubes que militam nos campeonatos provinciais.

TEXTO: SHAYD PARBATO

A principal novidade é a autorização da participação nos campeonatos provinciais “dos clubes que para além de estarem filiados na respectiva Associação Provincial, tenham garantido pelo menos a adesão ao sistema de Licenciamento” lê-se no documento enviado esta tarde, à redacção da ESFÉRICO.

Ainda segundo a fonte que temos estado a citar, só poderão transitar para um nível de competição superior, os clubes que detiveram o certificado de licenciamento respectivo.

A FMF informa ainda “que a tramitação de processos visando o licenciamento de âmbito provincial deverá continuar ao longo da época 2021”.

Ainda no quadro deste relaxamento, o organismo reitor do futebol no país fez saber ainda que efectuou um reajuste, nos seguintes critérios exigidos no PRO-LICENCIAMENTO:

CRITÉRO DESPORTIVO:

-Facultar aos clubes um prazo de 90 dias para apresentação do certificado de exames médicos, com conhecimento da AP’s;

-Apresentação do registro de jogadores na forma física;

CRITÉRIO ADMINISTRATIVO E DE PESSOAL

-Extinguir a exigência de um treinador de guarda-redes;

-Apenas as províncias de Maputo, Tete, Inhambane, Nampula e Cabo Delgado poderão apresentar treinadores de nível D da CAF;

CRITÉRIO LEGAL

-Extinguir a apresentação de uma declaração de independência dos membros da direcção executiva;

-Extinguir a comunicação de mudanças na gestão do pessoal administrativo;

CRITÉRIO FINANCEIRO

– Apresentação da carta abonatória poderá ser passada pela AP que assumirá, a responsabilidade da declaração, confirmando a ausência de dívidas referente à transferência de jogadores, dívidas com atletas e treinadores.

Vale sublinhar que este reajuste é motivado, pela fraca adesão ao PRO-LICENCIAMENTO, pelos que militam nos campeonatos provinciais. Espera-se que com estas medidas algo acessíveis, os clubes em questão possam aderir a este processo importante para a profissionalização do futebol nacional.

NÓS VIVEMOS O DESPORTO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.